sexta-feira, 27 de julho de 2012

a liberdade de imprensa

George Orwell, em a revolução dos bichos, livro recusado por quatro editoras, adianta no prefácio que aquele que desafia a ortodoxia dominante se vê silenciado com surpreendente eficácia e conclui: “uma opinião genuinamente fora de moda quase nunca recebe uma atenção justa, seja na imprensa popular ou nos ditos periódicos cultos”.

Passados quase 70 anos da publicação, as considerações de Orwell continuam atuais. O principal atentado contra a liberdade de imprensa e de expressão não é somente a interferência de qualquer organismo oficial, mas também a covardia intelectual. O jornalismo, na avaliação de Orwell,  teme a opinião pública bem informada.

É necessário refletir sobre a estreita relação entre regulação dos meios e covardia intelectual, especialmente em países marcados por intensa desigualdade social que também se reflete no acesso à informação.



jornalismo e otras cositas más

um espaço para o jornalismo crítico e uma crítica à imprensa. a reforma do marco regulatório das comunicações, o controle econômico e social de um pequeno número de meios, a notícia transmitida em função de interesses políticos, econômicos e comerciais, o regime oligopólico o qual está submetido a comunicação no Brasil.

e ainda sobra espaço para literatura, textos soltos, milongas e otras cositas más. afinal, estamos em Buenos Aires.