sábado, 31 de dezembro de 2016

registros de um fim de ano nostálgico


Fim de ano é sempre nostálgico. Aí, num intensivo natalino com minha mãe, pai e avô, resolvi provocar as cócegas com meus álbuns de infância. No meio do caminho encontrei um “diário de bebê”, onde meus pais desenharam a árvore genealógica de tal maneira que deixei de ser filha e passei à condição de bisavó materna que usava vestidos, fraldas e sapatilhas. Sim, acho que graças àquela árvore mal desenhada, quiçá um desejo inconsciente deles, alcancei cedo a maioridade.

Quando nasci, em setembro de 1980, media 53 centímetros e pesava 3,6 quilos. Em outubro do mesmo ano, eram 4 quilos distribuídos em 56 centímetros. Em novembro, 5 por 58. Três meses depois, meus pais cansaram de medir e acho que saí de casa. Não sei quando nasceu meu primeiro dente e nem quando dei o primeiro passo, mas o primeiro sorriso, segundo o diário, foi para o meu pai em novembro de 1980. Eu já acho que não demorei tanto a sorrir para a vida, mas que esqueceram de anotar.

Então, antes que os bons registros se percam por aí, trouxe comigo essas duas fotos, um pequeno álbum natalino de praia, em férias e com as pernas de fora. Porque é assim que pretendo passar os primeiros dias deste novo ano.


E que a vida seja doce, de luta e coragem. 

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

recuerdos e passagens


Faz vinte anos que saí de Blumenau e desde então não passava por esse túnel. Não lembro de sua construção, mas o colégio ficava do outro lado da rua e passava por ali pelo menos duas ou três vezes por dia. Às vezes as goteiras de dentro bagunçavam os cabelos mais que a chuva que caía lá fora e até tentava evitar suas escadas, mas dia sim e outro também lá estava... descendo, andando e voltando pra casa.


Aí ontem - não sem tentar desviar do túnel e atravessar a rua, voltei àquela passagem e lembrei daquele velho e bom tempo perdido. Também chovia, ainda tem goteiras, umidade e poemas duvidosos nas paredes, mas estar ali, agora sem uniforme nem dever de casa, e depois de vinte anos percorrendo outras trilhas, caminhos e memórias, causaram um certo entusiasmo. Uma centena de passos e tantos recuerdos.