sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

amor que serena, termina?

Amor que serena, termina?
começa? que nova
velhice o espera para viver?
qual fulgor? amor surgindo

de si mesmo a si mesmo sendo
também memória de si
comendo
de si, que velha

sombra chupará sua nuca? Oh pestes
que visitaram meu país
atacaram se foram
alheias como o vento


[do poeta argentino Juan Gelman, em Amor que serena, termina?]

Nenhum comentário:

Postar um comentário